Tuesday, June 26, 2007

VINACC alerta para ditadura gay
Jun 25, '07 4:27 AM

[liberdade de expressão, censura, repressão, agenda gay, lobby gay, homossexualismo, lei da "homofobia", PLC 122/2006, PL 5003/2001, PL 5003-b/2001, religião, homosexual agenda, gay lobby, "homophobia", censorship, free speech]

Segundo a VINACC ( http://www.vinacc.org.br ), o movimento homossexual está querendo implantar uma 'república de Sodoma' no Brasil e punir as pessoas que discordem.

Matéria publicada no Diário da Borborema - Campina Grande, Paraíba - Domingo, 25 de Junho de 2007:

Pastor alerta para 'ditadura gay'
Para Euder Faber, movimento está querendo implantar uma ‘república de Sodoma’ no Brasil
Antonio Ribeiro
antonio@db.com.br

A cidade de Campina Grande, neste mês de junho, não se transformou apenas no cenário do Maior São João do Mundo, mas também no centro das atenções e tensões entre as comunidades religiosas e o movimento gay. Tudo começou com uma campanha iniciada por uma entidade representante do meio evangélico, intitulada Visão Nacional Para a Consciência Cristã (Vinacc), contra a aprovação do Projeto de Lei 112/2006, em tramitação no Senado Federal.

A propositura determina o fim de qualquer comentário contra o homossexualismo, o que na concepção dos evangélicos vai tirar o direito de pregação e culto dos padres e pastores, a autoridade da Palavra de Deus na Bíblia Sagrada e, conseqüentemente, acarretar a condenação judicial de líderes religiosos que se posicionarem contra o homossexualismo. A campanha está sendo desenvolvida por meio de outdoors, panfletos, encarte em jornais, cartazes, rádio, entre outros espaços. A "quebra de braço" já envolveu a Igreja Católica, políticos e estudantes no assunto.

Uma ação já foi impetrada na Justiça pelo movimento gay, com o apoio do Grupo de Apoio à Vida (GAV) e a Rede Nacional de Pessoas Vivendo e Convivendo com o HIV/Aids, exigindo a retirada da publicidade. A juíza Maria Emília, da 1ª Vara Cível, da Comarca de Campina Grande, concedeu parecer favorável aos homossexuais, porém a Vinacc já anunciou recurso contrário na Justiça e não vai recuar da iniciativa, segundo afirmou o pastor Euder Faber, presidente da entidade.

"A Vinacc não vai recuar. O movimento homossexual está querendo implantar uma ditadura gay no Brasil, com a tentativa de aprovar o Projeto de Lei Anti-Homofobia 112/2006, em tramitação no Senado. A família cristã tem de se mobilizar contra esse intuito de 'república de Sodoma' e em favor da liberdade de culto." Este é o entendimento do pastor Euder Faber, presidente da Visão Nacional Para a Consciência Cristã. Ele disse também que a entidade já está recorrendo da liminar judicial concedida em favor do movimento gay e que a publicidade contra o Projeto de Lei vai continuar na cidade e no Estado.

Euder Faber asseverou que não está discriminando qualquer homossexual, mas apenas defendendo o direito à liberdade de culto que o movimento gay está querendo destruir. Ele ressaltou que a tentativa do movimento com o projeto é punir como criminosos todos aqueles que criticam o homossexualismo, significando dizer que os religiosos serão obrigados a não mais falar contra a conjunção carnal entre pessoas do mesmo sexo, pela palavra de Deus.

"Caso essa lei seja aprovada no Senado, um pastor pode parar na cadeia, se instruir suas 'ovelhas' acerca do que diz a Palavra de Deus sobre o homossexualismo. Ele terá que rasgar a Bíblia. A Bíblia condena o homossexualismo como está escrito em Levítico 18:22, Romanos 1: 25-27, 1 Coríntios 6: 9 e 1 Timóteo 1: 10. A Bíblia condena e os pastores terão que pregar o que ela diz. Eles não podem nos calar", afirmou.

Confusão - Para o presidente, a discussão é meramente religiosa e o movimento gay está querendo confundir a opinião pública, na tentativa de jogar a sociedade contra os evangélicos, o que não vai conseguir. Ele disse também que está tranqüilo em relação ao seu posicionamento e pronto para discutir o assunto na Justiça, na hora oportuna. Faber disse ainda está respaldado pelo Artigo 5º da Constituição Federal, que assegura a todo cidadão o direito de culto, o que não será tirado pelo movimento gay.

O pastor acredita que o projeto de lei enviado ao Senado é inconstitucional, pois está sobrepondo a carta magna do país, a Constituição Federal, no seu Artigo 5º, e por isso não pode ser aprovada, como também qualquer lei estadual ou municipal. O religioso asseverou que já enviou cartas à Igreja Católica, precisamente ao bispo Dom Jaime Vieira Rocha, e ao Seminário Diocesano de Campina Grande, solicitando um posicionamento. Ele salientou também que o argumento do movimento de que existe violência contra homossexuais não é verdadeiro, pois dentre os cerca de 800 mil assassinatos registrados por ano no Brasil, apenas 0,3% refere-se ao grupo, menos de 1%.

"Nós não estamos discriminando ninguém, mas pelo contrário, estamos sendo atacados e discriminados. Eu acredito que eles têm uma opção sexual e eu respeito, como respeito à mídia que tem feito uma apologia em favor do homossexualismo com suas novelas e comentários. O problema é que eles estão querendo usar de uma manobra para colocar na cadeia qualquer pessoa que se posicionar contra a prática homossexual. Eles estão querendo obrigar o pastor, o padre e até o judeu - que também é contra o homossexualismo - a fazer casamento de pessoas do mesmo sexo, pois do contrário serão denunciados na Justiça. Nem mesmo os jornalistas poderão emitir uma opinião contra os homossexuais, um artigo qualquer, porque será crime - pode isso?", indagou.
Rede Nacional diz que entidade religiosa é preconceituosa
O presidente da Rede Nacional de Pessoas Vivendo e Convivendo com HIV/Aids - Núcleo Campina Grande, Silvestre Gonçalves, disse ontem que a entidade, juntamente com o Grupo de Apoio à Vida (GAV), impetrou uma ação na Justiça de Pequenas Causas, contra a Visão Nacional Para a Consciência Cristã (Vinacc), para que seja retirado todo o material publicitário contra o homossexualismo na cidade.

De acordo com Silvestre, os evangélicos estão violando a Constituição Federal e principalmente a Lei Estadual 7.309, recentemente sancionada pelo governador Cássio Cunha Lima, que proíbe a discriminação em virtude de orientação sexual. Ele interpreta que a Constituição Federal de 1988, em seu artigo 5º, garante serem todos iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade.

A campanha "contra o homossexualismo" e à "ditadura gay" efetuada por meio da página na internet, também com a mobilização na cidade e fixação de outdoors, panfletagem nas escolas de ensino médio e universidades, ato público e manifesto nos principais jornais do Estado, é manifestadamente atentatória aos direitos humanos e fere diretamente vários dispositivos constitucionais e a legislação específica ao incitar a população para a discriminação quanto à orientação sexual.

Silvestre entende que não há que se confundir liberdade de expressão com liberdade de pensamento. A todas as pessoas, segundo ele, é assegurada a liberdade de pensamento, contudo, sua exteriorização, que constitui a liberdade de expressão, encontra limite no perigo de vulneração de outros direitos fundamentais. "A liberdade de expressão tem garantia constitucional, mas não é absoluta. Os limites morais e jurídicos existem, mas o direito à livre expressão não pode abrigar, em sua abrangência, manifestações de conteúdo imoral que implicam ilicitude penal", afirmou.

Por este motivo, ele entende que a campanha deve ser retirada da internet e proibida a afixação dos referidos cartazes, outdoors e distribuição dos panfletos, bem como reparada a coletividade atingida. O presidente informou ainda que cópia do documento foi encaminhada para a Secretaria Especial de Direitos Humanos, por meio do Conselho Nacional de Combate à Discriminação e Coordenação do Programa Brasil Sem Homofobia, a qual já emitiu parecer favorável a seu favor. (AR)
Bispo diocesano diz que opção sexual é desvio de natureza
O bispo de Campina Grande, Dom Jaime Vieira Rocha, disse que o homossexualismo é um desvio de natureza e, conseqüentemente, alheio ao plano da criação. Por esse motivo, ele afirmou não ser favorável ao homossexualismo e defender a liberdade de expressão em favor dos princípios morais do povo cristão. Apesar do seu posicionamento, Dom Jaime disse que a fé católica respeita as diferenças e não prega a Palavra de Deus no sentido de condenar.

Dom Jaime confessou não está totalmente inteirado do propósito do Projeto de Lei 112/2006, em tramitação no Senado Federal, que resultou em toda a polêmica iniciada e Campina Grande e por isso vai recorrer a Brasília para se inteirar do conteúdo. O religioso ressaltou que a Igreja Católica não é favorável ao preconceito e respeita a liberdade individual de qualquer pessoa, porém não aceita o cerceamento da liberdade de culto, de reflexão e do anúncio do evangelho, como, segundo a especulação e a versão da Visão Nacional Para a Consciência Cristã (Vinacc), pretende o projeto de lei.

Ele afirmou não está querendo promover qualquer perseguição ou preconceito contra o movimento gay, pois não é esta a função da Igreja Católica, mas a dignidade humana e os princípios em defesa da vida. Não sendo o projeto de lei cerceador da liberdade de expressão, voltado para a castração ao direito de culto dos padres, pastores e demais líderes religiosos, ele disse não ter nada contra o movimento. "O que afirmo é que não devemos ser proibidos de falar, de refletir e anunciar o evangelho", afirmou. (AR)

Fonte: http://db.onorteonline.com.br/domingo/cotidiano/#5

Diário da Borborema - http://db.onorteonline.com.br

Site da Visão Nacional Para a Consciência Cristã (Vinacc): http://www.vinacc.org.br --- http://www.conscienciacrista.org.br

Disponível em:

http://liberdadedeexpressao.multiply.com/journal/item/41

Liberdade de Expressão - http://liberdadedeexpressao.multiply.com

1 comment:

anderson said...

Existe uma inexorabilidade muito grande neste projeto de lei.
Ser ser gay é uma opção sexual e ninguém pode falar nada, então a pedofilia, necrofagia, também o são e não poderemos falar nada.
Simplesmente ridículo!
Esse projeto é uma ditadura realmente e tenho certeza que não será aceito na íntegra, pois o Deus que sirvo não permitirá!